16.01.2020
A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) divulga os resultados da segunda avaliação de 2019, no âmbito do módulo SINAS@Hospitais do Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), relativa à dimensão Excelência Clínica.
A avaliação e a classificação efetuadas processam-se em dois níveis. No primeiro confirma-se o cumprimento dos critérios considerados essenciais para a prestação de cuidados de saúde com qualidade. A validação desse cumprimento, demonstrada pela atribuição de uma estrela, permite ao prestador o acesso ao segundo nível de avaliação, no qual se processa a classificação em rating, para cada uma das áreas em avaliação, num de três níveis de qualidade: nível de qualidade III, II ou I, conforme os prestadores estejam posicionados no nível de qualidade superior, no nível de qualidade intermédio ou no nível de qualidade de base.
Realça-se que a metodologia utilizada pelo SINAS não produz um ranking, o que impossibilita qualificações do tipo “melhor hospital” atribuídas individualmente aos prestadores. Para além disso, as classificações traduzem o desempenho apenas nas áreas concretamente avaliadas em cada prestador, não se podendo fazer extrapolações sobre o desempenho do hospital como um todo, ou mesmo de serviços do hospital. Assim, a interpretação dos resultados publicados pelo SINAS deve atender à natureza da metodologia de avaliação adotada.
Note-se finalmente que o número de áreas em que cada prestador é avaliado depende não só do caráter voluntário do sistema, mas também da natureza e grau de diferenciação dos estabelecimentos em causa, em função das valências de que dispõem.
Resultados
Na presente publicação foram avaliados 158 prestadores de cuidados de saúde de natureza hospitalar, dos setores público, privado e social, de todo o território nacional.
A avaliação da dimensão Excelência Clínica incidiu sobre episódios de internamento com alta entre 1 de julho de 2017 e 30 de junho de 2018, refletindo o desempenho anual dos prestadores de cuidados envolvidos, relativo a procedimentos e/ou diagnósticos nas áreas de Angiologia e Cirurgia Vascular (Cirurgia de Revascularização Arterial), Cardiologia (Enfarte Agudo do Miocárdio), Cirurgia de Ambulatório, Cirurgia Cardíaca (Cirurgia Valvular e outra Cirurgia Cardíaca não Coronária e Cirurgia de Revascularização do Miocárdio), Cirurgia Geral (Cirurgia do Cólon), Cuidados Intensivos (Unidade de Cuidados Intensivos), Cuidados Transversais (Avaliação da Dor Aguda e Tromboembolismo Venoso no Internamento), Ginecologia (Histerectomias), Neurologia (Acidente Vascular Cerebral), Obstetrícia (Partos e Cuidados Pré-Natais), Ortopedia (Artroplastias da Anca e Joelho e correção cirúrgica de fraturas proximais do fémur) e Pediatria (Pneumonia e Cuidados Neonatais).
Destaca-se que dos 158 estabelecimentos atualmente abrangidos pelo SINAS@Hospitais, 121 (77%) obtiveram classificação nesta dimensão, e 102 (84%) destes conseguiram a atribuição da estrela correspondente ao primeiro nível de avaliação.
Quanto ao segundo nível de avaliação (rating), verificou-se um aumento do número de prestadores que obtiveram um rating nível de qualidade III, nas áreas de Ginecologia (Histerectomias) (66%), Ortopedia (Artroplastias da anca e joelho) (41%) e Cirurgia de Ambulatório (12%), relativamente à avaliação efetuada no ano de 2018 publicada em julho de 2019.
Ainda na dimensão Excelência Clínica, e quanto aos valores de referência dos indicadores avaliados, de uma forma global, verifica-se a melhoria do cumprimento de alguns dos indicadores de processo associados a diferentes áreas cirúrgicas, nomeadamente nos relacionados com a seleção, administração e interrupção da antibioterapia profilática dentro do período, nas áreas de Cirurgia Cardíaca (Cirurgia de Revascularização do Miocárdio e Outra Cirurgia Cardíaca), Cirurgia Vascular (Cirurgia de Revascularização Arterial), Ginecologia (Histerectomias) e Ortopedia (artroplastia da anca e joelho).
Foi ainda possível verificar uma melhoria dos valores de referência dos indicadores da área de: Obstetrícia (administração pré-natal de esteróides), Neurologia relativos ao Acidente Vascular Cerebral (Terapêutica antitrombótica e anticoagulante prescrita na alta e Terapêutica trombolítica), Cirurgia de Ambulatório (Seleção do doente para administração da profilaxia de náuseas e vómitos), Cuidados Transversais – Avaliação da Dor Aguda (Registos regulares da intensidade da dor em doentes não cirúrgicos e cirúrgicos e Dor moderada ou intensa em registos consecutivos em doentes não cirúrgicos, bem como a Analgesia por via intramuscular após a cirurgia).
A estabilidade do sistema é uma das suas mais-valias, tendo-se verificado, ao longo de todo este processo, um aumento gradual do desempenho médio em alguns dos indicadores de processo avaliados, alguns dos quais já com patamares elevados de cumprimento (entre os 90% e os 100%) em diferentes áreas como a Ortopedia, a Ginecologia, a Cirurgia do Cólon, a Cirurgia Cardíaca, a Cirurgia de Ambulatório, o Enfarte Agudo do Miocárdio, o Acidente Vascular Cerebral, Unidade de Cuidados Intensivos e Avaliação da Dor.
Com o intuito de motivar a melhoria contínua, a ERS valida a informação submetida pelos prestadores, através de auditorias periódicas e aleatórias. No ano de 2019 o programa de auditorias do SINAS@Hospitais contemplou a realização de 60 destas ações. Considerando que estão abrangidos neste módulo de avaliação 158 prestadores, tal significa que 38% desses hospitais foram auditados e assim validada a informação fornecida pelos mesmos e que serviu de base à sua classificação no SINAS no ano de 2018.
Para mais informações:
Consultar: página SINAS
Consultar: resultados globais
Consultar: resultados individuais 
Call Center ERS

309 309 309

(09h00 - 17h30)

Telefone

222 092 350

Fax

222 092 351

Email

geral@ers.pt

Morada

Rua S. João de Brito, 621 L32
4100-455 Porto

(09h00 - 12h30) | (14h00 - 17h30)